Date:03/01/2012

Psicologia

A psicoterapia tem como objetivo aproximar a pessoa de suas verdades, o que lhe confere maior conhecimento de si e das relações que estabelece. Com essa consciência ampliada é possível:

– Evidenciar a singularidade, sem necessariamente tornar-se individualista;

– Fazer escolhas mais adequadas e responsabilizar-se pelas escolhas feitas;

– Estar atento a si, identificando e respeitando seus limites, o que viabiliza, também o respeito ao outro;

– Reconhecer as limitações e desenvolver as potencialidades;

– Melhorar a comunicação, na medida em que, quanto mais autêntica se torna a fala, mais genuíno e franco se torna o diálogo;

– Experimentar sensação de maior liberdade ao compreender melhor suas possibilidades de existir, o que favorece o desprendimento de uma existência de aparências;

– Ressignificar situações mal acabadas, ou seja, atualizar os pensamentos, os sentimentos e as ações antigas e automatizadas que perduram;

– Usar além do intelecto, sensações, emoções e sentimentos ao agir sobre os conflitos no dia-a-dia, integrando a unidade corpo-mente-emoção e,

– Transformar os padrões de relacionamento consigo e com os outros, a fim de tornar esses relacionamentos saudáveis e enriquecedores

A psicoterapia tem sido empregada com sucesso numa grande variedade de desordens psicossomáticas como, por exemplo, gastrite, enxaqueca, asma, taquicardia, psoríase, dermatite, herpes, urticária, hipoglicemia.

Verifica-se, também, bom resultado na grande variedade de conflitos intrapsíquicos, nos quais há tensão entre o que a pessoa quer fazer, o que deve fazer e o que consegue fazer.

E, ainda, quando há questionamentos referentes às grandes questões existenciais: sentido da vida e das relações cotidianas, solidão, sentimento de impotência, liberdade, responsabilidade, entre outros.

Indivíduos ansiosos, perfeccionistas, fóbicos, deprimidos, estressados, com TOC, dependentes químicos, com disfunções sexuais, com insônia e transtornos alimentares, da mesma forma se beneficiam com bons resultados.

As intervenções psicoterápicas são feitas a partir da queixa inicial do cliente e respaldadas pelo referencial teórico de cada profissional (Gestalt, Existencialismo, Comportamental, entre outros.), pelas considerações diagnósticas e pelo estilo de cada terapeuta, tendo como objetivos a reorganização do funcionamento psíquico em direção ao equilíbrio e uma melhora global na qualidade de vida da pessoa.


Compartilhar