Greice Gagaus – Psicóloga – CRP 123.076

Psicóloga formada pela FMU – Faculdades Metropolitanas Unidas em 2014.

Atuo como Psicóloga clínica desde minha formação. Em curso realizei estágios supervisionados no Hospital das Clínicas, Delegacia da Mulher e na própria clínica-escola da Faculdade.

Hoje, em minha prática no consultório, sinto mais afinidade com a linha Humanista. Porém, não vejo problemas em utilizar aspectos de outras linhas quando considero importante. Sempre aplicando de forma individualizada, caso a caso.
Me identifico com a linha Humanista, pois ela leva em consideração não somente os porquês, mas também os para quês de determinadas condutas e formas de ver o mundo. Trazendo o indivíduo para a responsabilidade e participação do que virá a ser feito, sendo o foco central das sessões, o olhar e a percepção voltados para o Eu.
Com esse maior autoconhecimento, o sujeito se torna mais verdadeiro com ele próprio e com suas relações.
Penso que, no mundo, e principalmente no que diz respeito a comportamento, mente, espírito e essência, não exista somente uma verdade, mas sim verdades.

Tanto a linha Psicanalítica quanto a Humanista, estão de acordo com a importância da ressignificação de conceitos e histórias. Ou seja, trazer novos significados às histórias traumáticas do sujeito, levando-os a dar-lhes novos sentidos.
Sigo a abordagem Humanista, sobretudo, pelo foco no autoconhecimento do indivíduo, que abre espaço para um amadurecimento emocional, aceitação (de si, dos outros e das circunstâncias), autenticidade e responsabilidade das próprias escolhas, redescoberta da autoestima e autoconfiança, e vivências focadas no aqui e agora, facilitando um retorno ao significado original das coisas. Eliminando o peso dos véus ilusórios do Ego.

Gosto de pensar que o sujeito não É de determinada forma, mas sim ESTÁ de determinada forma. O que traz uma ideia de plasticidade na formação do Ser, podendo ser reajustada se assim ele quiser e se predispor, assumindo uma postura ativa na psicoterapia e em sua própria vida.
A Psicoterapia tem a importância de trazer o indivíduo de volta ao que ele é. Auxiliando-o no resgate de sua autenticidade, amor próprio e relação com seu mundo interno e por consequência, externo.

É necessário que haja um equilíbrio entre sentir, pensar e agir. E o que vemos hoje com frequência são pensamentos acelerados e ininterruptos, causando ansiedades, dificultando a percepção do sentir, e que por consequência, levam a comportamentos impulsivos e equivocados.

O corpo fala! E estar consciente do que ele diz é o primeiro passo para nos tornarmos uma melhor versão de nós mesmos.

“O que é necessário para mudar uma pessoa é mudar sua consciência de si mesma.” (Abraham Maslow)